Dia da preguiça + Brazilian Day

No domingo (dia 2 de setembro), eu tava numa mazela triste. Tava morta por causa da balada do dia anterior, que apesar de frustrada me fez chegar em casa as 5h da manhã, e ainda não tinha dormido bem por conta do querido calor usual que toma conta do meu quarto e do meu ser nesses dias de verão. Me levantei, arrumei um pouco a bagunça, lavei umas roupinhas e desci pra nerdar. Falei um pouco com o pessoal e depois subi pra tomar um banho, porque além do calor, tava com fome e o brunch aqui só tinha ido até 1h. Fui no Shake Shak da Columbus Avenue, que é mais perto da minha casa (desci na 79th e andei até a 77th com a Columbus) e depois de comer fui dar uma voltinha no Central Park, que tinha uma entrada na frente da lanchonete. De lá eu fui pra Times Square e me encontrei com as Maris e Anita pra irmos pro Brazilian Day.

Achei que fosse um evento pequeno, que usava só a 46th street (ou Little Brazil), mas fecharam um grande trecho da 46th e da 6th avenue também. Lá tinha um monte de barraca com vários tipos de comidas que se diziam típicas brasileiras, mas que na verdade eram argentinas, chinesas, peruanas ou seja lá o que fosse. Fora que os donos das barracas eram todos asiáticos (tanto de comidas, quanto de artesanatos). Havia pouquíssimas vendendo comidas típicas mesmo como pastel, coxinha, milho assado e Guaraná Antarctica, mas pra quem tava com saudade de comer essas coisinhas, deu pra desenrolar tranquilamente. Como eu tava cheia, não comi foi nada. A gente ficou andando um pouco por lá e quando começou o show dos lindos, maravilhosos e talentosos Jorge & Mateus (só que não!), resolvemos procurar umas bebidinhas pra animar. Consegui comprar 2 Smirnoff Ices a 8 dólares e beber escondida no copo do Starbucks 😛 As meninas fizeram o mesmo com as cervejas. Aqui não se pode beber na rua, muito menos ficar andando com garrafa de vidro, daí a gente preferiu não arriscar, mas se bem que os cops não tavam nem aí, tavam mais era sacando o som e paquerando as nhegas piriguetes do Brasil il il! Hehehehe. Ficamos no máximo umas duas horinhas lá apreciando a música popular brasileira e toda a gente “bunita” do nosso país e depois fomos comer no Fridays, quer dizer, as meninas foram comer e eu acompanhar, que tava sem fome  total.

Brazilian Day na 6th avenue

Depois eu voltei pra casa e fiquei mazelando por aqui. As meninas ainda iam pra uma balada com outros brasileiros, mas eu desisti, porque além de estar cansada por não ter dormido bem, não quis arriscar de gastar meu mísero dinheirinho em corridas de taxi pra depois não conseguir entrar.

Anúncios