Soho, Chinatown, Shake Shak e tattoo

Na sexta-feira (dia 31) eu fui pra escola de manhã, como sempre. Foi legal porque o professor focou em alguns jogos pra memorizar frases e palavras que ele ensinou essa semana, aí deu uma movimentada. Apesar de ter faltado na quinta, consegui me sair bem com algumas novas palavras. Mari, uma das brasileiras da minha sala, faria aniversário dia 2, daí me chamou pra comemorar com ela, a outra Mari e a prima dela num restaurante no sábado, o que topei na hora.

Depois da aula eu voltei pra casa e fiquei esperando Dianou, a francesa, porque ela ficou de ir comigo no Soho/Chinatown pra eu comprar o presente de Dedé e as lembrancinhas do pessoal. Infelizmente ela não pode ir comigo, porque tava meio indisposta (esse calor é a treva!), mas eu também tinha marcado de me encontrar com Ewerton (o brasileiro que conheci através de Juliana) lá, daí tive companhia pras andanças. Peguei o metrô até a Times Square e de lá o N até a Prince Street. Desci na esquina da loja da Converse que eu queria ir, o que foi ótimo, porque me poupou o tempo da procura pelo lugar. A loja é enorme, cheia de coisa massa, e dá vontade de comprar tudo. Só entrando lá pra saber que Converse é muito mais que All Star. Adorei algumas roupas, tênis e assessórios femininos que eles tem. Comprei um tênis pra Dedé e mais dois presentinhos extras, porque o valor foi mais barato do que eu esperava (esses são surprise!). De lá eu fui na Sephora comprar uma paleta da Naked pra Paulinha e me encontrei com Ewerton lá mesmo pra continuarmos as compras. Fui com ele na Hollister, que ele queria ver umas coisas pra levar pro Brasil e vender, e depois fomos no Chinatown comprar os souvenirs e lembranças prozamigos. É muita muambinha atrativa, viu? Dá vontade de levar tudo hahaha. Comprei muitas coisinhas bacãnas e fiquei literalmente sem 1 real na carteira. Tive que sair correndo pra voltar pra casa e pegar mais dinheiro antes de sair com Noelle, porque tava sem condições (também finalizei aqui as compras que tavam faltando!).

Peguei o metrô nas carreiras até a Embassy, a escola de inglês aonde Noelle estuda, e de lá fomos pra Times Square tentar comer  no Shake Shak (digo tentar, porque o lugar vive cheio, com a fila rolando na calçada. O pior é que não é só o da Times Square que é assim: aonde tiver Shake Shak, vai ter fila rolando). Conseguimos um lugarzinho no sufoco e jantamos por lá. Aí sim é junk food gostosa. Hamburger suculento, batatinha deliciosa e um dos melhores milk shakes que tomei na vida.

Shake Shak’s burger

De lá a gente foi pra o NY Adorned, estúdio aonde Noelle ia fazer a tattoo dela e tava com hora marcada. Fica lá no East Village. Chegamos lá mais cedo do que esperado, mas foi bom, porque o tatuador tava livre e atendeu ela logo. Ela fez uma maçã no pulso, em homenagem a NY, ficou bonita que só. Depois disso resolvemos voltar pra casa mesmo, ela porque queria descansar e terminar de organizar as malas (ela ia embora no domingo) e eu porque tava morta do dia de andanças e queria tentar acordar cedo no sábado pra ir pro East River Park.

Noelle na tensão, tentando sorrir hehe.

Anúncios